Open Access Peer-Reviewed
Carta

Glomerulonefrite proliferativa associada à Legionellose

Post-Legionellosis Proliferative Glomerulonephritis

Gioacchino Li Cavoli; Luisa Bono; Calogera Tortorici; Tancredi Vincenzo Li Cavoli; Ugo Rotolo

DOI: 10.5935/0101-2800.20150080

FIGURAS

Citação: Li Cavoli G, Bono L, Tortorici C, Li Cavoli TV, Rotolo U. Glomerulonefrite proliferativa associada à Legionellose. Braz. J. Nephrol. (J. Bras. Nefrol.) 37(4):505. doi:10.5935/0101-2800.20150080
Recebido: June 16 2015; Aceito: July 01 2015

Ao Editor:

Hoje, nos países desenvolvidos, as glomerulonefrites infecciosas não são comuns e estão frequentemente associadas a doenças debilitantes. A doença do legionário (DL) é uma das causas mais comuns de pneumonia aguda grave adquirida na comunidade na Europa e em até 40% dos casos de pneumonia nosocomial.1 A injúria renal aguda (IRA) em DL nosocomial é uma complicação bem descrita, mas a morfologia renal só foi relatada em alguns casos. A Nefrite Túbulo-Intersticial (NTI) é a alteração histológica mais diagnosticada;2 entretanto, há poucos relatos que descrevem a lesão glomerular.3,4

Nossa experiência: uma mulher de 41 anos de idade, apresentou dispnéia leve, tosse e insuficiência renal aguda (oligúria, creatinina: 5,5 mg/dL). Quatro semanas antes, ela teve um síndrome tipo-gripal; a radiografia de tórax mostrou infiltração pulmonar esquerda e ela foi tratada com ceftriaxona e claritromicina.

Na internação: a pressão arterial estava em 140/80 mmHg e os exames cardiovascular, respiratório e abdominal estavam normais. Exames laboratoriais: Hb 9,9 g/dL, WBC 9960 × 109/L; PCR 15 mg/dL; proteinúria 3,8g/24h; ANA positivo 1:80; HBV, HCV, Ab-DNA, ENA, c-ANCA e p-ANCA: negativos. C3, C4, e os níveis de imunoglobulina estavam normais. A radiografia de tórax e a ultrassonografia abdominal mostraram resultados normais. Foi realizada uma biópsia renal: entre 24 glomérulos, 7 apresentaram proliferação extracapilar e crescentes epiteliais e 2 esclerohialinose global; o espaço túbulo-intersticial exibia fibrose leve com infiltração linfocítica. Os túbulos e vasos estavam sem acometimentos patológicos relevantes, especialmente sem sinais de vasculite. A coloração por imunofluorescência revelou IgG linear e deposição de C3 ao longo da parede capilar glomerular. A microscopia eletrônica não foi realizada. Estes resultados eram consistentes com uma glomerulonefrite proliferativa-extracapilar (figura 1). Foi realizada pulsoterapia com metilprednisolona (500 mg EV, durante 3 dias consecutivos), seguido de prednisolona oral (37,5 mg/dia) e ciclofosfamida 350 mg EV. Após esse tratamento, tivemos o resultado positivo para anticorpo Legionella pneumophila-1. Nos testes de detecção de anticorpos séricos: o título da IgG-estava em 1:128 e o título de IgM estava em 1:96. Não conseguimos catarro para cultura, mas o teste de Ag na urina para o sorotipo 1 da Legionella pneumophila também foi positivo. Nós diagnosticamos uma glomerulonefrite crescente pós-DL. Nós não continuamos com corticosteroide e imunossopressores. A função renal melhorou até a recuperação completa após 3 meses. Nós não identificamos a fonte de sua infecção por Legionella pneumophilia no apartamento da paciente. A DL é reconhecida como uma doença multisistêmica. NTI é uma complicação rara da DL e há poucos relatos de glomerulonefrite em DL. Nossa experiência destaca que, em pacientes com IRA e DL recente, uma glomerulonefrite por imunocomplexo pós-infecção deve ser considerada; ressaltamos a importância da biópsia renal no diagnóstico diferencial de IRA em DL.

REFERÊNCIAS

Diederen BM. Legionella spp. and Legionnaires' disease. J Infect 2008;56:1-12.Link DOILink PubMed
Daumas A, El-Mekaoui F, Bataille S, Daniel L, Caporossi JM, Fournier PE, et al. Acute tubulointerstitial nephritis complicating Legionnaires' disease: a case report. J Med Case Rep 2012;6:100.Link DOILink PubMed
Hariparsad D, Ramsaroop R, Seedat YK, Patel PL. Mesangial proliferative glomerulonephritis with Legionnaires' disease. A case report. S Afr Med J 1985;67:649-50.Link PubMed
Wegmüller E, Weidmann P, Hess T, Reubi FC. Rapidly progressive glomerulonephritis accompanying Legionnaires' disease. Arch Intern Med 1985;145:1711-3.Link DOILink PubMed

© 2017 All rights reserved